MEDIDAS E AÇÕES

®ICNF / Pedro Sarmento

Medidas de conservação ex-situ

Portugal é um parceiro das ações de reprodução em cativeiro desenvolvidas em Espanha, e tem assento no Comité de Cria em Cativeiro do Lince Ibérico (CCCLI).
Cabe ao CCCLI impulsionar o Programa Ibérico de conservação ex-situ para o lince-ibérico, garantindo um programa unificado. O Programa Ibérico de Conservação ex-situ tem como objetivos gerais:

 

  • Conservar 85% da variabilidade genética atualmente existente na natureza, durante 30 anos.
  • Criar exemplares de lince-ibérico, destinados a fundar novas populações de lince em áreas de distribuição histórica ou reforçar populações já existentes.

1 – Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico

A criação do Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI) que funciona de acordo com as recomendações do CCCLI, integra a rede de centros de reprodução de lince-ibérico, cuja população é gerida pelo CCCLI.

2 – Banco de Recursos Biológicos

O Programa de Conservação ex-situ é dotado de um Banco de Recursos Biológicos para conservar materiais de indivíduos de cativeiro, de indivíduos de populações silvestres e de coleções museológicas.

I Medidas de conservação in-situ

1 – Conservação dos habitats e das populações das presas

Definem-se como prioritárias as ações para a conservação dos habitats e das populações das presas que visam:

  • Manter e recuperar áreas de habitat de ocorrência, reprodução e dispersão;
  • Dentro de áreas adequadas ao lince incrementar a densidade de coelho-bravo para que sejam atingidos quantitativos compatíveis com a sobrevivência e reprodução de lince.

2 – Fomento das populações das presas

Os princípios orientadores desta ação serão desenvolvidos em integração com os trabalhos da Comissão Permanente de recuperação das Populações de Coelho-bravo (PRECOB – Despacho n.º 296/2007, de 8 de janeiro – criação da Comissão, coordenada pela então DGRF e que integra representantes de várias instituições da administração central, CIBIO, GNR/SEPNA, OSC e ONGA). Em áreas a selecionar, o fomento das populações do coelho-bravo exige a concretização das seguintes ações:

  • Gestão das populações em zonas de caça do regime cinegético ordenado;
  • Instalação de manchas de alimentação, espaços abertos, intercalados nas manchas de matos de forma a potenciar os recursos tróficos;
  • Construção ou instalação de abrigos; 
  • Entre outras;

3 – Redução de causas de mortalidade

Destinadas à redução de causa de mortalidade e visando a minimização dos riscos de atropelamento e de abate ilegal.

4 — Procedimentos preparatórios de reforço populacional e reintrodução

A meta final das acções propostas neste plano de conservação é possibilitar a condução de acções de reforço populacional e reintrodução do lince-ibérico de acordo com as normas específicas da UICN, com o objectivo de estabelecer populações viáveis na sua área histórica de distribuição

5 — Centro de reintrodução experimental

Para fazer a ponte entre a conservação in-situ e a conservação ex-situ, é necessário instalar um centro de reintrodução experimental que terá, como função principal, testar protocolos de reintrodução, avaliando a possibilidade de utilizar animais nascidos em cativeiro para a recuperação das populações naturais.

 

  • Despacho n.º 12697/2008. D.R. n.º 87, Série II de 2008-05-06

Ministérios do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas
Plano de Acção para a Conservação do Lince-ibérico em Portugal