PERCURSOS SONOROS DO LINCE-IBÉRICO / Lynxsoundtrack

Percursos sonoros

Conheça e experiencie os sons da natureza em territórios do lince-ibérico.

Se reside ou se visitar o concelho de Mértola, desafiamo-lo(a) a conhecer e a se deliciar com os sons da natureza em territórios de lince-ibérico. Nesta aplicação encontra pontos em torno da vila de Mértola e percursos no Parque Natural do Vale do Guadiana com os registos sonoros de inúmeras espécies que pode escutar. Pretende-se que  possa usufruir de uma nova dimensão e aprender mais sobre a comunidade faunística que coexiste com o lince-ibérico, consoante o período do dia ou da noite, a estação do ano ou o local.

Além das gravações recolhidas no território por um especialista, apresentam-se fotos e breves textos que destacam algumas curiosidades e biologia das espécies. Aventure-se nesta nova descoberta dos territórios que o lince-ibérico frequenta. Recorde-se dos cuidados para evitar perturbar os animais, do respeito pela propriedade privada e de permanecer em silêncio para melhor usufruir da natureza (parado num ponto pode ser uma boa opção). O ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P. e o projeto LIFE Lynxconnect desejam-lhe uma ótima experiência!

ACEDA AQUI



 

REINTRODUÇÃO NO VALE DO GUADIANA

Em Portugal, a reintrodução de lince-ibérico iniciou-se em 2015 na área do vale do Guadiana, concelho de Mértola. Desde há 20 anos que o ICNF, conjuntamente com parceiros, tinha vindo a desenvolver estudos e projetos de recuperação para a espécie.

De forma a selecionar a área mais apta para o futuro estabelecimento de uma população viável de lince-ibérico, realizaram-se previamente censos de coelho-bravo, uma avaliação das zonas de matagal e coberto arbóreo, um levantamento das ocorrências de armadilhas ilegais e risco de atropelamento. Levou-se também a cabo uma auscultação de opinião a atores locais.

No concelho de Mértola foi possível estabelecer acordos com proprietários em áreas com elevada densidade de coelho-bravo e onde se construiu um cercado de adaptação para os primeiros animais vindos de cativeiro. O lince-ibérico é uma espécie-chapéu e a sua conservação beneficia muitas outras espécies e os territórios.

Entre 2015 e 2017 foram libertados 27 animais no vale do Guadiana. Desde 2016 que há reprodução na natureza e a maioria dos animais apresenta território estável.
Acompanhar a reintrodução significa monitorizar os linces por rádio seguimento, foto-armadilhagem, análises genéticas, acompanhar o estado sanitário dos animais, as fêmeas em gestação e a abundância de coelho-bravo nas áreas de ocorrência. O envolvimento de parceiros e potenciar iniciativas nos territórios é parte essencial do sucesso desta reintrodução.

Saiba mais AQUI

 

O que é uma reintrodução de uma espécie selvagem na natureza

Uma reintrodução é uma tentativa de estabelecer uma população selvagem viável de uma dada espécie, numa determinada área geográfica que já foi parte da sua distribuição histórica mas onde esta espécie foi extinta.

As reintroduções têm sido utilizadas como ferramentas de conservação de espécies como o lince-ibérico cuja situação na natureza é muito crítica, recorrendo a animais nascidos em cativeiro. O sucesso destas ações depende, porém, do cumprimento de vários requisitos tais como o desaparecimento das causas anteriores de extinção da espécie (ex. furtivismo), a existência de qualidade do habitat numa área suficiente para albergar uma população, a manutenção em cativeiro de animais fundadores e adequadamente treinados para sobreviver na natureza. A reintrodução de uma espécie requer sempre uma abordagem multidisciplinar em que vários aspetos são considerados nomeadamente a aceitação social da espécie na região em causa.

No caso do lince-ibérico existe  uma boa produção de animais em cativeiro foram estabelecidos cientificamente os devidos protocolos para preparar os animais e a forma como são reintroduzidos na natureza. As primeiras ações foram programadas para a Andaluzia em 2010 onde existia ainda uma população original de linces e se têm realizado importantes ações de gestão do habitat e presas. Em Portugal foi selecionada a área do vale do Guadiana e poderão vir a ser escolhidas outras áreas de reintrodução. A conservação do lince em Portugal e na Península Ibérica depende, porém, sobretudo da gestão e recuperação do seu habitat, a existência de uma população de linces em cativeiro não é, só por si, a solução para a subsistência da espécie.